Machine learning: o que você precisa saber sobre o assunto

O conceito de machine learning já tem sido visto todos os dias

Machine learning é um termo que já tem em sua tradução uma dica de como essa tecnologia funciona: através da aprendizagem da máquina. Esse é um recurso da ciência da computação que concentra o uso de dados e algoritmos de forma a imitar como os humanos aprendem, para melhorar gradativamente alguma função. Recurso esse que cresce exponencialmente no campo dos dados. No machine learning, é esperado que as decisões tomadas por um equipamento tenham como base o aprendizado com dados e identificação de padrões com o mínimo (ou sem) intervenção humana.

A diferença entre machine learning e inteligência artificial ainda podem confundir bastante, porque muitas pessoas pensam que ambos têm o mesmo significado, e não é assim. De maneira simples, podemos dizer que a inteligência artificial, é um conceito mais amplo, que traz mecanismos de tecnologia baseados em comportamento humano para resolver problemas, e o machine learning é englobado dentro dela, como um de seus recursos. Mas, tanto em um, quanto em outro, os algoritmos são a base de tudo.

Por mais que esse seja um conceito que se pensa ser novo, sua origem já beira 70 anos. Na década de 50, Alan Turing, precursor da informática já realizava os primeiros testes, com os primeiros modelos de computadores desenvolvidos para analisar o poder de raciocínio das máquinas.

Machine learning é um recurso da inteligência artificial que nos ajuda a melhorar produtos e serviços através de dados.

O conceito de machine learning tem possibilitado um salto de produtividade em todo mundo. Fábricas, por exemplo ficaram muito mais inteligentes e as máquinas mais precisas por conta própria. Na área de serviços, o atendimento ao cliente também ganhou recursos importantes – os chatbots estão cada vez mais assertivos no retorno aos clientes.

Vale lembrarmos que o machine learning veio para melhorar a qualidade de produtos e serviços, tendo em vista que, o aprendizado da máquina é muito mais ágil do que o humano, então o acúmulo de informações é mais rápido e sua aplicação também.

E aí vem o questionamento: mas e a inteligência humana, fica onde? E por isso trazemos um exemplo prático, o do Waze. Quem utiliza o aplicativo, fornece dados sobre a velocidade na via onde se encontra. A partir dessas informações, o aplicativo recomenda ou não que outros motoristas passem por aquele mesmo trajeto. Uma equipe de humanos não conseguiria colher e entregar essas sugestões de trajeto em tempo real. Por outro lado, nenhuma ferramenta substitui o raciocínio humano, que carrega uma bagagem, experiências, sentimento e interpretações que não podem ser dadas por uma máquina.

E sua empresa, já utiliza esse tipo de recurso? Se não utiliza, nós da Evope podemos dar uma forcinha na sua produtividade. Quer saber como? Acesse nosso site www.evope.com.br, conheça nossas funcionalidades e fale com um de nossos consultores.

A  cresceu. Agora somos a , focados na evolução de pessoas e integração de times.