Trabalho híbrido: uma nova realidade

O trabalho híbrido promete ser uma forte tendência pós-pandemia.

Trabalho híbrido consiste no formato de jornada que mescla o home office com o trabalho presencial. Se com a chegada da pandemia, o modus operandi 100% remoto teve que ser implantado da noite para o dia, o modelo híbrido vem sendo desenhado de maneira mais ordenada, sólida e ganhando a cena como uma forte tendência pós-pandemia.

Com a aproximação da vacinação e muitos estados brasileiros tendo anunciado o calendário de aplicação das doses, as empresas começam a desenhar sua retomada. Mas para muitas delas, essa retomada promete não ser 100% presencial, uma vez que muitas companhias experenciaram excelentes resultados com seus colaboradores trabalhando remotamente. E essa adesão que promete ser numerosa, se dá também por uma outra vantagem competitiva: a econômica – com o trabalho híbrido, o escritório pode ser menor e consequentemente mais barato, além da diminuição das contas.

A adoção ao trabalho híbrido vem também delimitada por uma questão que atingiu muitos colaboradores: a saúde mental. Em uma pesquisa recente feita pelo Runruin.it, 43% das 1.500 pessoas entrevistadas afirmaram que tem dificuldades de se desconectar após o fim do expediente trabalhando em casa. Esse comportamento pode ser muito prejudicial e levar a fatores extremos como a ansiedade, o stress e até mesmo o burnout.

O que foi conhecido no começo da pandemia como “novo normal” se readaptou, e hoje o modelo 100% remoto está migrando aos poucos para o híbrido. Uma pesquisa do Instituto de Pesquisa de Economia Política da Universidade de Stanford revelou que 55% dos colaboradores norte-americanos gostariam de trabalhar neste formato. Já a empresa GPTW (Great Place to Work), representada por Alicia Tung, projetou que na China, em cerca de 10 anos a divisão do trabalho será certa de 60% presencial e 40% remoto.

Ainda na pesquisa feita pela Runrun.it com cerca de 300 profissionais de agências de marketing, mostrou que entre líderes e liderados, o percentual é muito similar quando o assunto é trabalho híbrido. 82,7% dos líderes e 81,5% dos liderados afirmam que querem trabalhar remotamente algumas vezes na semana.

Entre vantagens e desvantagens – como em qualquer modelo – o trabalho híbrido aparece entre as maiores tendências do futuro do trabalho. E para isso, é necessário que a gestão de equipes seja a mais próxima possível. Por isso, nós da PerfTracker temos uma ferramenta que gere o time onde quer que ele esteja: presencial ou remotamente. Quer saber mais, acompanhar e melhorar a performance do seu time? Acesse nosso site www.perftracker.com.br e fale com um de nossos consultores.

A  cresceu. Agora somos a , focados na evolução de pessoas e integração de times.